Postagem em destaque

Atriz profissional desde 1999. Em 17 anos de profissão, atuou em 04 novelas e em inúmeras participações na Tv Globo, além de trabalhos em ci...

terça-feira, 10 de março de 2009

Quem é você?

Atriz profissional desde 1999. Em 17 anos de profissão, atuou em 04 novelas e em inúmeras participações na Tv Globo, além de trabalhos em cinema e teatro entre as cidades de Nova Iorque, São Paulo e Rio de Janeiro.  

Sua primeira personagem foi a Raposa, em uma montagem de O Pequeno Príncipe. Aos 18 anos foi morar em New York. Estudou Ballet Moderno na Juilliard School com Jim May, teve aulas de Corpo na HB Studios com a professora Rasa Allan Kazlas, frequentou às aulas de jazz do mestre Jeff Amsden, fez aulas de interpretação na Stella Adler, fez aulas de esgrima, curso de interpretação na TISCH School of The Arts - NYU, foi à Broadway e foi bailarina da companhia de Jose Limón.

Por um ano em São Paulo atuou em dois espetáculos "A Noite do Amor Seco" inspirado em Bodas de Sangue de Federico Garcia Lorca e "A Floresta das Sereias" com direção de Fernando Prata e que esteve em cartaz no Centro Cultural Vergueiro. Ainda em São Paulo fez parte da Cia de Dança Bio Rítmo. Fez cursos de interpretação para cinema e vídeo com Gabriel Castelani, foi ouvinte da Escola de Artes Dramáticas da USP, além de ministrar aulas de corpo e coreografar lutas e cenas de esgrima para a montagem de dois espetáculos na capital.

No ano 2000 chegou ao Rio de Janeiro. Foi aluna do Centro do Teatro do Oprimido de Augusto Boal e atriz da companhia de teatro Studio Stanislaviski dirigida por Celina Sodré na qual atuou na montagem de "Cinema Karamasov", espetáculo inspirado na obra de Dostoiévski e "Ophelia". Ministrou voluntariamente aulas de teatro nas comunidades Chapéu Mangueira e Cantagalo, onde dirigiu diversas montagens teatrais.

Ao longo dos anos atuou em diversas novelas, entre as quais "Chocolate com Pimenta" e "Alma Gêmea" de Walcyr Carrasco, sob direção de Jorge Fernando, "O Profeta" de Duca Rachid e Thelma Guedes, com destaque como a personagem Joana. Em 2012 atuou em "Morde e Assopra" como a personagem Kátia. Fez diversas participações na Tv Globo, em episódios dos seriados globais "Os Aspones" e "A Diarista" e nas novelas "Caminho das Índias" de Glória Perez, "Caras e Bocas", "Alto Astral" e "Eta Mundo Bom!".

Em 2007 fez seu primeiro filme, o longa metragem "Pela Passagem de uma grande Dor" inspirado em conto de Caio Fernando Abreu.

Filmou em dezembro de 2010 o Longa Metragem "A Novela das Oito". Filme de Odilon Rocha que tem como tema o ano de 1978 no Brasil, a ditadura militar e a novela Dancin' Days como pano de fundo. No elenco estão Matheus Solano, Alexandre Nero, Claudia Ohana, entre outros. O filme será lançado em 2011.

Em abril de 2011 fez mais uma participação no cimema, seu terceiro longa metragem "Astro" de Paula Trabulsi produzido pela Bossa Nova Films. Seu último trabalho na Tv foi a Séria de humor Overdose exibida em 2012 na MTV. 

Em 2015 protagonizou o curta Aqui Tem Flores Demais de Déborah Engiel. 

O começo - Yoshi Oida

" A verdadeira comunicação entre os homens não se dá somente pelo contato físico ou através das palavras. Ela vem de um nível mais profundo e poderíamos descrevê-la como o encontro de duas almas... Para chegar a fazer com que aconteça essa ligação invisível entre os homens, o teatro revela-se precioso. "
Yoshi Oida, em "Um Ator Errante".

Resolvi abrir esse espaço vazio com Yoshi Oida. Ninguém melhor do que este artista para definir um espaço de criação livre. Uma porta aberta. Um espaço em branco para criatividade entrar em cena. Uma linha transparente que une a performance ás tintas e aos sons das pistas de dança. Um laço que circula os pés da bailarina ás imagens fotográficas que mesmo estáticas não páram de se mexer em nossa cabeça. Um espaço para a filosofia tentar aliviar a inquietude eterna que ser artista nos tráz e que nos impulsiona para continuarmos nosso movimento por entre a arte ou dentro dela. Um espaço para o devir , para o estar sendo, contínuo e infinito. Um espaço para imaginar nossa ponte. Um espaço para a arte, para gente.

Ele abrirá as portas desse espaço e fará dele uma grande cena, será um rumo perfeito para esse novo e eterno começo. Yoshi, um ator que apenas com seu olhar e a ponta dos dedos nos faz ver a lua!

Tive a inacreditável oportunidade de participar de seu workshop quando esteve no Brasil, no Rio de Janeiro em 2001. A foto que tirei com ele na festa de encerramento do workshop é bastante inverossímel, Yoshi sentado ao meu lado usando uma camiseta do calçadão de copacabana. A foto vale como recordação, porém na memória ficaram coisas muito mais valiosas que aprendi com Yoshi, como o começo de uma lição eterna e infinita, o eterno começo de ser ator.

"Viajante obcecado, buscador incansável, Yoshi conquistou também a sabedora de expressar-se com invejável simplicidade. Livre de modismos, permanentemente em guarda e em sintonia com se tempo, ele fala do teatro como quem busca, através dele, um sentido ara a vida: com o conheciento do passado e pés fincados no presente para alavancar o salto que ilumina o futuro".